8 de jan de 2013

Olá?

Para quem leu o ultimo post, deve estar ciente de que eu pedi dez comentários, mas só recebi quatro. E o que eu disse que iria acontecer se não tivesse os dez? ia parar de postar. 


Agradeço aos quatro comentários. Foi realmente maravilhoso o que escreveram. E graças a vocês eu não vou parar de vez,  vou parar com o blog. Mas vou começar uma FIC  nova e dessa vez não vou parar. Mas não será aqui que vou postar. É no anime spirit.

Já comecei a postar lá, se chama "Decisions". E aqui está o link:


http://animespirit.com.br/fanfics/historia/fanfiction-idolos-justin-bieber-decisions-510766


Espero que gostem.

26 de dez de 2012

Muito Importante.

Eu vou parar de escrever histórias do Justin para vocês.


Sim, vocês leram certo!


E sabe porque? caralho eu estou cansada, eu fico horas preparando um capitulo decente para vocês para depois receber 3 comentários? VÃO SE FODER!


Caralho, eu tenho 30 leitoras no NYAH e muitas vieram para cá. Agora aqui eu tenho 28 leitoras no blog e apenas três comentam???????? vão se foder²


Obrigado as que deram valor e comentaram, mas por causa dos idiotas que não valorizam o trabalho dos outros, não vai mais ter FIC!


E só para constar eu só vou continuar a postar se tiver 10 comentários nesse post me dando motivos o suficiente para continuar, se vocês me convencerem a ficar, então eu fico.

"10 comentários, você é muito mal!" não sou não, mal são vocês que não valorizam o meu trabalho, e outra, tem 30 leitoras custa deixar um comentário apenas dizendo "continua" nos capitulos? ah acho que não. Agora eu quero comentários que me convenção de ficar.


Beijos rs rs rs 


Ps: estou escrevendo uma fic em ORIGINAIS, e essa eu não irei parar de escrever. O garoto principal tem as características do Justin e tal, para as que realmente se importam e querem ler a minha FIC Originais, aqui está o link:

http://fanfiction.com.br/historia/309444/Uma_Chance_ao_Impossivel.

15 de dez de 2012

Loving The Small Time - Capitulo Três.

Mudança de planos, não será essa a FIC de psicopatas, sorry!




Passamos os ultimos dias nos divertindo, cantando musicas da familia, aproveitando em quanto tia Morgan não chegava.


Dois dias passaram e os tios foram em bora, sobrando de adultos apenas mãe, vovó e vovô. E infelizmente daqui três dias chegaria Morgan, Luana, namorado louco da Luana e Lizzie.



Acordei cedo, e quando eu digo cedo é cedo mesmo, eram oito da manhã. Mas vovó e vovô já estavam acordados na cozinha, me sentei junto a eles tomando café e depois de uns 10 minutos minha mãe chegou com Jessie, se juntando a nós.



Depois que comi fiquei jogada no sofá assistindo qual quer coisa. Quando era umas dez da manhã, Caleb e Travis acordaram e foram para a cozinha tomar café, e assim foi até todos acordarem.


- O que faremos hoje? - perguntei para Caleb e Robert que estavam ao meu lado no sofá


- Dylan estava querendo ir ao centro comercial - disse Caleb dando os ombros 



Centro comercial? é, era uma boa ideia, sempre saimos de lá com compras,muitas compras.



Combinamos de nos trocar e ir para o centro comercial a 13h da tarde para almoçar e passar o dia lá.



Quando deu 13h estavamos dentro da nossa mini vã que ficava na casa da vovó para quando vinhamos aqui.



Ryan foi dirigindo, Travis ao seu lado, no bando de trás foi eu abraçada ao Caleb e Logan ao seu lado e no ultimo banco estava Dylan e Robert.



Chegamos ao centro comercial e concordamos em comer no MC Donald's, depois de comer começamos a nossas compras.



P.O.V Lizzie



Chegamos na casa da vovó finalmente. Não aguentava mais nenhum momento no carro com minha mãe louca, minha irmã insuportável e o namorado-quase-legal dela. Ps: ele só não é totalmente legal porque namora com a minha irmã, o ser mais demoníaco do mundo.


- Vovó! - exclamei indo a abraça-la 


- Querida, que saudades - me abraçou 



E depois foi cumprimentar minha mãe, Luanna e Justin.


Fui falar com o vovô, matei minhas saudades e discretamente perguntei onde estavam os outros, não queria que eles ficassem bravos comigo por me descuidar e fazer Luana ir junto, ninguém gosta dela.


- Eles foram ao centro comercial, esteja no celeiro daqui a vinte minutos que eu te levo lá - disse discreto, pisquei e entrei para dentro de casa.



Levei minhas coisas para o quarto que eu dividia com Alicia - estava com tantas saudades dela! - notei que sua mala estava jogada no chão, provavelmente estava em cima da minha cama antes disso.


Me troquei e arrumei minhas coisas, vinte minutos depois estava na frente do celeiro e vovô estava lá me esperando no carro para me levar até os outros.


Vovô amava Luana e minha mãe, mas sabia como elas eram, por isso nos ajudava a fugir delas.


- Está entregue - piscou quando paramos no centro comercial


- Te amo - beijei sua bochecha e sai do carro



Entrei em suas lojas os procurando e não os achei. Mas é claro, como eu não pensei nisso antes, eles devem estar na loja de fliperama.


Fui até a nossa loja favorita e os achei ali, fui cuidadosamente até Alicia tampando seus olhos por trás.


- Okay Travis, eu não tenho mais 5 anos, sei que é você - ela disse tentando tirar as mãos dos olhos - opa, o Trevis não tem unhas grande - pausa - LIZZIE! - gritou e saiu de meus dedos me abraçando


- Que saudade!


- Eu também estava! - disse sorrindo



Passamos o dia nos divertindo no centro comercial, até ficar tarde, comermos algo e irmos para casa.


P.O.V Alicia


Todos chegamos em casa tarde, o que dizia que todos ali estavam dormindo, então não fizemos barulho, tomamos banho e fomos dormir.



Acordei durante a madrugada com cede, resolvi ir até a cozinha tomar água. Quando entrei lá tomei um susto, um menino gato pra caramba estava tomando um copo de água de uma força sexy.


- Quem é você? - perguntei rapidamente e ele se assustou


- Meu Deus menina, que susto! - disse colocando a mão no peito


E eu comecei a gargalhar.


- Sou Alicia - me apresentei - e você?


- Sou Justin - sorriu - sou namorado da sua prima Luana, ela me disse sobre você


- Você é o namorado dela? - perguntei e ele concordou - juro que todos aqui pensávamos que você era um horrível e louco - gargalhei e ele gargalhou junto


- Então me achou bonito? - perguntou se aproximando e eu sei um passo para trás o fazendo rir - sou sexy né? - se aproximou me fazendo encostar na pia 


- Não se aproxima - disse séria


- Não consegue resistir? - colou seu corpo ao meu segurando na minha cintura


- Você é o namorado da minha prima! - disse tentando dar uma desculpa, não que eu ligasse que eles eram namorados. E ele deu uma risada com seu rosto proximo ao meu.


- Eu sei que você não liga - disse sexy - ninguém liga, ninguém gosta dela, ela é louca.


- P-Porque você está com ela então? - minha voz vacilou me fazendo fechar os olhos junto aos dele


- Digamos que estou sendo ameaçado, e cai entre nós, não quero ser morto por uma psicopata - deu uma gargalhada gostosa


E depois seus lábios tocaram os meus. Seu beijo era gostoso, me envolvia de uma forma tão magnifica, me deixava louca. Pediu passagem com a lingua e eu rapidamente cedi, nossas linguas travavam uma batalha extraordinária e então fomos interrompidos por barulhos na escada, nos fazendo se afastar logo.


- O que fazem aqui? - perguntou Lizzie com uma cara desconfiada


- Vim tomar água e o encontrei aqui - disse saindo da cozinha - vou dormir, boa noite


Subi as escadas correndo e entrei em meus quarto, deitando na cama e dormindo pensando em como aquilo pode acontecer.

She Will Be Loved. - Capitulo Dez,

- Eu vou te contar uma parte do porque está aqui. - ela disse


Uma onda de felicidade me atingiu, minha primeira reação foi sorrir larga e me mexer inquieta e ansiosa na cadeira, o que fez ela rir.


- Não se anime muito - comentou rindo fraco - já tentou ligar para os seus pais?



E então meu sorriso desapareceu lembrando de quando tentei falar com a minha mãe.



- Sim, mas minha mãe não atendeu - respondi olhando para o chão


- Sinto te dizer, mas é porque eles faleceram. - disse um tanto rapido



Meu coração pareceu parar por alguns minutos. Sei que eles nunca foram pais presentes, nunca me deram amor nem carinho, apenas dinheiro. Mas ainda assim eram meus pais e eu os amava.



- Meus pais ... - sussurrei sentindo as lágrimas começarem a cair.


- Eu sei que está triste mas eu preciso continuar ok? - ela disse aflita e eu concordei - nós duas sabemos que eles não eram pais presentes,mas isso era só para te proteger Amy.



Meu olhar se levantou e parou em seu rosto.


- Se lembra de Joseph? - perguntou



E sim, eu me lembrava, eu o amava, Joe era o melhor irmão mais velho que alguém podia ter, pena que se foi...


- Ele não morreu.



Meu coração parou por alguns segundos novamente, como assim ele não morreu?



- Seus pais eram vampiros mas não podiam te transformar antes da hora - ela começou a explicar - Adams os lideres dos vampiros ordenaram que eles ficassem longe de você até o dia da transformação, por isso não ficavam em casa, não ficavam muito com você. Joe seu irmão também tinha uma data para ser transformado e seria assim que ele fizesse 18 anos, mas com 17 alguns meses antes de completar seus 18 anos, ele pegou uma gripe muito forte que virou uma meningite, se lembra disso Amy?



Sim, eu me lembrava, me lembrava de ter ido o visitar no hospital mas não poder ve-lo por ter 14 anos e não era liberado a entrada de pessoas que não fossem pai ou mãe.


- Sim - respondi apenas


- Seus pais para salva-lo os transformaram, mas isso foi antes da hora marcada pelos Adams - continuou ela - mandaram Joe para a Alemanhã na casa de um primo do seu pai, para ele se esconder. Mas uma noite antes de nós te trazermos para cá, os Adams descobriram o que os seus pais fizeram e a pena disso era morte, então na manhã seguinte a irmã mais velha dos Adams os matou.



Senti as lágrimas voltarem a cair, eu simplesmente não conseguia entender.


- E então tivemos que te trazer para cá - ela concluiu - para a transformação acontecer antes dos Adams te achar, porque se te acharem vão te prender no palácio deles para sempre junto ao seu irmão, que não aguentará de sede e irá beber todo o seu sangue. Por isso precisamos te manter aqui, até a data certa e em quanto isso os Adams não podem te encontrar.



Fiquei um tempo em silêncio tentando processar tudo, até resolver pedir uma coisa.


- Pode trazer o meu irmão para cá?


Ela suspirou, abaixou a cabeça e depois me encarou



- Sabia que ia pedir isso. Estamos fazendo o possível para traze-lo, eu sinto muito Amy, mas não sei quando ele poderá vir - me abraçou para consolar.



- E quando será a minha transformação? - perguntei



Ela voltou para a sua cadeira e se sentou.



- Você fez 18 anos dia 27 de novembro, estava combinado que seria 5 meses depois do seu aniversário de 18 anos, ou seja apenas em abril.


- Então em abril me tornarei uma vampira?



Ela concordou com receio.



Sai do escritório e fui para o quarto, eu precisava pensar. Me joguei na cama e várias coisas se passaram a minha cabeça.


A porta da sacada estava aberta e um ar gelado estava entrando me fazendo ficar encolhida e tremer de frio.


Senti colocarem uma coberta em cima de mim me esquentando, alguém se deitou atrás de mim me abraçando, senti seu cheiro, o reconhecia de longe: Justin.


- Vai ficar tudo bem meu amor - ele beijou minha bochecha

- Promete?

- Eu prometo. 



Só espero que ele cumpra a sua promessa.  



---------------


Gaby: muuuuuuuuuuito obrigada, também sou sua fã hahahahaha te amo s2


Blueandpink: dou tanta risada com os seus comentários! hahahaha te amo s2


~~leticia: feia é você! HAHAHAHAHAHA lindona s2


Lizandra: valeeeeeeeeeeeeeeu! também te amoooooooo s2

Anonimos: muuuuuuito obrigada!

11 de dez de 2012

Loving The Small Time - Capitulo Dois.


- Toronto, aqui estamos nós! - gritou Travis assim que chegamos no aeroporto


- Para de ser idiota - o empurrei


- Ai, sua louca! - reclamou


- Travis tem como ajudar a sua irmã com as malas? - pediu mamãe e eu sorri sínica 


- Claro, irmãzinha - sorriu irônico e pegou minhas malas me ajudando


- Vovó ligou e disse que tio Dimas já está com o carro ai fora nos esperando - avisou mamãe



Fomos andando até a saida do aeroporto, eu estava com uma mochila nas costas dando a mão para Jessie que levava uma mochilinha com ela. Em quanto mamãe e Travis levavam as demais malas.



- Quanto tempo galerinha! - disse tio Dimas assim que nos viu



Depois de todos os cumprimentos, colocamos as malas no porta-malas e entramos no carro e tio Dimas dirigiu até a fazendo a vovó.



- Queridos! - disse a vovó assim que nos viu chegando se aproximando


- Vovó! - Jessie disse correndo até ela



Eu e Travis com a ajuda de tio Dimas fomos tirando as malas do carro.



- Como vocês estão grandinhos! - vovó disse se aproximando 



A abraçamos e depois fomos levando nossas coisas para dentro da casa. Vovô estava deitado no sofá e fomos até lá para matar as saudades. Depois fomos para um se instalando em seus devidos quartos.



- Eai, cadê o resto? - perguntei quanto estávamos na sala


- Só eu não ta bom? um tio sexy desse não basta? - tio Dimas disse e caímos na gargalhada - Ellen foi no centro comercial com seus primos e daqui apouco estão aqui. - piscou


- Morgan vai vir com Luana e Lizzie - pronunciou vovó



E então o silêncio reinou.



O negócio é o seguinte, vovó é cheia dos filhos. Todos os tios, primos e etc... se dão bem. Menos com a tia Morgan e sua filha Luana. Apenas nos damos bem com Lizzie, mais ninguém.



Morgan é louca, psicopata! Quando menor colocou fogo na cozinha trancando minha mãe lá e por pouco ela não morreu, depois disso foi internada em uma clinica de loucos. Dês de então mamãe odeia ela e consequentemente eu, Travis e até a pequena Jessie que não sabe da história também a odeia.


Vovó diz que Morgan mudou, mas ninguém acredita, ela fez mal a todos, e na frente da sua mãe - minha vó - se faz de santa, de "curada". Nem mesmo seu pai - meu avô - acredita nela, ou seja ninguém a quer aqui.


E ela teve duas filhas que foram abandonadas junto a ela pelo seu ex namorado, que cansou de ficar com a quela louca - dei graças a Deus quanto ele ficou ciente disso, ele era muito legal - as duas filhas são gêmeas, Luana e Lizzie.



Lizzie é um amor de pessoa e todos gostamos dela, ela é uma das minhas melhores amigas. Mas Luana é o diabo em pessoa, ela é tipo a Morgan quando criança, vive tentando fazer mal aos outros. Ou seja, ninguém gosta dela também.



- Vamos dar uma chance a ela - tentou vovó


- Mamãe, me desculpa - tio Dimas foi o primeiro a se pronunciar - não vai dar, você sabe que ela é louca e que ninguém gosta dela.


- Por mim, deem uma trela somente nesse natal - pediu vovó



E então concordamos, pela vovó.



- E Luana vai trazer seu namorado - disse vovó empolgada


- Quem é o louco? - Trevis soltou


E todos começamos a gargalhar, mas vovó o olhou com reprovação e ele pediu desculpas, depois todos ficamos em silêncio segurando a risada.



- Eu vou subir para tomar um banho - avisei e me levantei do sofá



Subi as escadas e fui par ao meu quarto, precisava de um banho para relaxar e me conformar que teria que aguentar a chata da Luana o natal inteiro.



Depois do meu banho sequei meus cabelos compridos e me agasalhei por causa do frio, coloquei minhas pantufas quentinhas e sai do meu quarto ouvindo vozes, parece que tia Ellen voltou com meus primos do centro comercial.



Quando cheguei na sala, não estava só Ellen, Logan e Robert - meus primos, filhos de tia Ellen e tio Dimas - mas sim uma boa parte da familia, aquele bando de filho da vovó com seus filhos.


- Alicia! - gritou Logan e Robert junto correndo e me abraçando


- Vão me matar - reclamei quando estava sem ar já os fazendo me soltar



Cumprimentei tia Amélia e tio Paul que estavam ao lado se seus filhos - meus primos - Dylan e Caleb. Depois de falar com os quarto fui cumprimentar meu primo Ryan, o primo mais velho da familia.



- Ei gordinha - me abraçou


- Ei gordo! - o esmaguei


- Ryan Good gordo? - gargalhou - sou sexy - fez uma pose


E é mesmo!



Depois fui falar com o resto do pessoal, não vou citar todos porque são muitos.



Depois de horas já eram sete da noite, todos estavam acomodados em seus devidos quartos. A casa era muito grande, com muitos quartos, então coube todos e ainda sobrou quartos para os outros que vão chegar.


Resolvemos pedir uma pizza, quer dizer, umas dez para dar para todos ali presentes.



Depois que comi subi para o meu quarto, resolvi tirar minha mala de cima da cama de Lizzie - dividiamos o quarto nós duas - pois se ela chegasse de madrugada poderia dormir sem nenhum problema.


Me joguei em minha cama e liguei meu notebook, começando a fuçar no mesmo, até entrarem no meu quarto sem bater na porta.


- Não sabe bater na porta Ryan Good? - perguntei para o cara a minha frente que riu e se sentou ao meu lado



Guardei meu notebook e o encarei séria.



- Aconteceu alguma coisa?


- Não - respondeu sorrindo - só queria ficar um pouco com você, estou com saudades - fez um bico 



Sorri fofa e o abracei o enchendo de beijos até cansarmos.


- Como está vivendo em Paris? - perguntei


- Muito bom - sorriu - trouxe presentes, depois dou o seu - piscou 


- Como é na faculdade?



Ryan tem 20 anos, ele nunca conheceu seu pai e sempre morou com sua mãe, mas a dois anos atrás ela morreu de câncer, o que fez ele ter que morar sozinho. 


Mamãe ofereceu nossa casa mas ele não quis. E depois de dois anos  - atualmente - ele resolveu começar uma faculdade, ele gosta de moda, então está estudando essa área na França.


Ficamos conversando, ele me contou como era a sua vida na França e sobre a gatinha que estava pegando. Me perguntou como está sendo em Nova York e ficamos um bom tempo conversando, até resolvermos descer para o andar de baixo.



- Se vocês não fossem primos, diria que dariam um casal bonito - disse mamãe e todos rimos


- Fica quieta sua gorda - Ryan disse jogando uma almofada na minha mãe fazendo a mesma rir


- Gorda é a sua tia Louise! - disse ela se defendendo.



O que foi meio irônico, porque a única tia chamada Louise que Ryan tinha, era a minha mãe! O que fez todos gargalharem.



- Cadê o resto? - perguntei deitando na perna de minha mãe no sofá


- Jessie dormiu a pouco e a coloquei no quarto. Tio Paul e Amélia foram dormir por estarem cansados, tio Dimas e tia Ellen estão no quarto trancado a um tempo, se é que me entende - demos uma gargalhada - e o resto está por aqui - deu os ombros


- Quem topa um filme? - Dylan disse entrando na sala com pipocas e Caleb



Mamãe disse que ia dormir por estar cansada, então ela desejou boa noite e subiu as escadas. Vovó dormia a tempos, e vovô resolveu subir para dormir também. Todos os tios resolveram ir dormir, resumindo todos os velhos foram dormir.


Sobrando apenas eu, Travis, Ryan, Caleb, Dylan, Logan e Robert. O que me fez lembrar os velhos tempos, mesmo faltando Lizzie, Kayla e Brianna - minhas outras primas que provavelmente iriam vir.



- Daqui dois dias estaremos livres - disse Logan e o encaramos confusos - o que? vocês não sabem? - bufou - meus pais, tia Amélia, tio Paul e todos os outros tios que chegarem vão em bora, menos sua mãe - apontou para mim - e a tia Morgan - revirou os olhos.


- Meu pai vai vim para o natal - comentei 


- Aêêêê - comemoraram



Ficamos assistindo filme e depois fomos dormir, amanhã seria um longo dia.

10 de dez de 2012

Loving The Small Time - Capitulo Um



P.O.V Alicia Benson


- Sim mãe, nós vamos, só vamos nos atrasar um pouco. - dizia minha mãe pela milésima vez ao telefone com minha avó - já te disse, Alicia ficou de recuperação e suas aulas só irão acabar dia 12, mas prometo que dia 14 já embarcamos. - pausa - também te amo, beijos.


- Foi muito difícil? - perguntei rindo fraco em quanto mudava os canais da TV


- Sabe como sua vó é - mamãe revirou os olhos - desligue essa porcaria agora e vá estudar - me tacou uma almofada e saiu da sala



Bufei e continuei mudando os canais da TV sem prestar muito atenção. Até o sofá pular porque um gordo obeso pulou ao meu lado.



- Não sabe se sentar direito Travis? - perguntei indignada


- Cala a boca - revirou os olhos - vai baixinha, passa esse controle pra cá


- Você é o irmão mais folgado do mundo - me levantei irritada e joguei o controle nele


- Quieta, sou mais velho que você 



Ignorei revirando os olhos e subi as escadas em direção ao meu quarto.


A questão é, Trevis é meu irmão mais velho, ele é um chato, mas nos damos bem, algumas vezes.



- Lice, Liceeeeeee - escutei a vozinha fina me chamar



Fui caminhando até o quarto da minha irmã mais nova que chorava por algo. Abri a porta e a vi chorando olhando para uma prateleira.



- O que foi Jessie? - perguntei


- Não consigo pegar os lápis - apontou para o baldinho de lápis na prateleira



Me estiquei um pouco por ser baixinha e então peguei o potinho para ela a entregando sorrindo.


- "Bigado" Lice - disse pegando de minha mão.



Sorri e sai de seu quarto indo para o meu, entrei no mesmo e vi que minha mala se encontrava do mesmo jeito que eu tinha deixado, incompleta em cima da cama.



Coloquei tudo no chão com a proposta dada pelo meu cérebro de deixar isso para depois. Me joguei na cama e dormi.



4 DIAS DEPOIS.



- E como foi no teste Alicia? - perguntou Trevis dirigindo o carro 



Ele tinha acabado de me pegar na escola, tinha acabado de fazer meu ultimo teste e seja o que Deus quiser!


- Fui bem, espero ter passado de ano. - respondi


- Você vai - piscou - mamãe ficou uma fera quando viu que você não acabou de arrumar suas malas - riu um pouco


- Vou arrumar hoje anoite - revirei os olhos



Ficamos em silêncio até chegar em casa, desci do carro, entrei em casa e joguei minha mochila em cima do sofá correndo para a cozinha, estava morta de fome!


- Lave as mãos - mamãe disse antes que eu pegasse algo


Bufei e fui no lavatório para lavar as mãos. Depois corri até a cozinha novamente e devorei tudo o que tinha lá.


- Por isso tá obesa assim - disse Travis


- Cala a boca - joguei um caroço da minha azeitona dele


- Ei! mãe olha o que ela fez! - ele gritou


- Parem os dois - disse ela sem se importar e rimos fraco continuando a comer.



2 DIAS DEPOIS.



- Vai logo Alicia! - disse me empurrando Travis


- Tem como esperar? tem gente na minha frente! - o dei uma cotovelada


Depois que as pessoas que estavam na minha frente se sentaram em seus devidos lugares finalmente eu e Travis achamos a nossa poltrona.



- Ótima noticias - mamãe nos chamou na poltrona de trás - papai já esta embarcando para a casa da vovó



Meus olhos brilharam de felicidade.


Meu pai era militar, por tanto ele não mora conosco e sim pelo mundo. Ele vive salvando vidas e nem todo mundo reconhece o seu trabalho. E o ter no natal conosco é muito bom, estou com saudades.

She Will Be Loved - Capitulo Nove.

Ficamos um bom tempo conversando, comendo pizza e assistindo filmes. E nada do Justin e Ryan chegar.


- Se acalma - Zayn fez bagunça no meu cabelo - eles estão bem, nenhuma onça vai morder eles - riu fraco e eu o fuzilei - ok, se acalma baixinha! - me abraçou


E então escutamos o barulho da porta se abrir, Justin entrou junto a Ryan e rapidamente Justin ficou na minha frente, que estava sentada no sofá abraçada com Zayn.


- Então é pra isso que queria que eu fosse caçar? pra ficar com a minha garota? - ele disse visivelmente irritado


- O que? - Zayn disse se soltando de mim - está louco Justin? - disse se levantando 


- Não, não estou louco, é o que eu estou vendo - cruzou os braços - eu pensei que podia te chamar de amigo! 


- Justin qual é? cara, você ta delirando! Trina pediu pra mim avisar você que deveria caçar, afinal faz quando tempo que não toma sangue? - perguntou friamente 


Justin ficou calado de abaixou a cabeça.


- Vem cá cara - Zayn disse 


E eles se abraçaram.


- Já que você chegou pra cuidar da sua garota - debochou Zayn - vou subir e tomar um banho



E depois correu pelas escadas


- Sentiu minha falta coisinha? - Ryan disse se jogando em cima de mim no sofá


- Olha a aproximação Ryan - Justin disse 



Ryan riu e se sentou direito no sofá, o ignorei e me levantei indo pra perto do Justin.


- Sério? nenhum abraço? - Ryan disse com uma sobrancelha arqueada

- Você me abraçou quando chegou? - arqueei a sobrancelha


E então ele começou a gargalhar, a se contorcer de tanto rir e a lacrimejar.



- Amy isso foi uma sessão de ciumes? relaxa, entre você e a onça eu prefiro você - ele disse sorrindo e vindo até mim


- Sai! Justin não deixa ele vir aqui! - me escondi atrás de Justin



Mas os braços de Ryan  me puxaram e me abraçaram forte.


- Senti falta disso - disse ao me render


- Eu também coisinha! - disse me soltando


- Já chega né? - Justin disse e me puxou pra perto dele


- Vou tomar banho - Ryan disse, piscou e correu pelas escadas.


- Agora é só você e eu - Justin disse sorrindo



Nos aproximamos e nos beijamos.


- Eca Justin, vai escovar os dentes - disse me separando


- Desculpa, sangue não tem um gosto muito bom para os humanos - riu fraco e foi no lavabo



Depois que ele voltou rapidamente me beijou.



- O que é isso no seu rosto? - perguntei vendo um arranhão


- Ah, a onça tentou revidar - deu os ombros


- Isso pode infeccionar - eu disse preocupada


- Relaxa Amy! até amanhã de manhã já sumiu do meu rosto - disse sério - agora vem aqui - me puxou e me beijou novamente


- Pra que tantos beijos? - perguntei rindo


- Estou com saudades, o dia inteiro não te beijei! - disse óbvio


- Então não vive sem meu beijo? - testei


- É claro que não! - deu uma gargalhada e me beijou


- Ok casal, já podem ir para os quartos, eles existem ok? - era Zayn descendo as escadas.




Dia Seguinte.



Acordei e estava morrendo de fome, mas antes tomei banho e me troquei e só ai percebi que Justin não estava do meu lado quando acordei.


Sai do quarto e desci as escadas e fui até a cozinha, onde eu encontrei Trina, Zayn, Ryan e Justin conversando com Joaquim.


- Olha quem acordou - disse Trina sorrindo - como está Amy?


- Trina? - perguntei confusa - estou bem e você?


- Ótima - respondeu sorridente - coma e depois vá para o escritório, preciso conversar com você ok? - disse e se levantou saindo da cozinha


Me sentei ao lado de Zayn e Justin que estava ao meu lado me olhou com um olhar reprovando.


- Nananinanão, aqui do meu lado mocinha - Justin disse



Eu ri, me levantei e me sentei ao seu lado, ele beijou a minha bochecha e colocou a mão na minha cocha


- Agora sim - sorriu satisfeito e mordeu seu pão com manteiga.


- Coma Amy, vai logo menina - disse Ryan - ta esperando o que? quer morrer de fome?



O olhei estranha e ele riu, comecei a comer rapidamente.



- Ele disse para comer, mas não para acabar com tudo, dragãozinho - debochou Zayn


E eu o mostrei a lingua.


- Temos uma kids entre nós  - continuou provocando


- Vai se foder Zayn - mostrei o dedo do meio



Justin passou o braço em volta do meu ombro rindo.


- Essa é a minha garota.




Depois que comi fui para o escritório encontrando Trina lá, sentada na mesa mexendo no notebook.


- E então? - disse me sentando


- O que eu tenho que te contar é importante e então você tem que ser forte, ok Amy? - anunciou



E eu gelei, o que eu menos consegui fazer esses ultimos dias foi ser forte. Agora então? o que será que ela quer comigo?


-------------------------------------------



Só postei porque recebi 6 comentários lindos e maravilhosos!


Quase surtei quando vi o comentário da Blueanspink, que tamanho de comentário é esse? hahahaha, amei! De verdade, se você continuar com esses comentários lindos vou ficar mal acostumada hahaha

Leticia, vou postar hoje o primeiro capitulo da próxima FIC, espero que quando você tiver entrado eu já tenha postado, hahahaha, amei seu comentário!

@BeehLuiiza, ei valeu por pelo menos ter deixado um "continua" FANTASMAS É ISSO QUE VOCÊS DEVEM FAZER OK?  


Gabi, muito obrigada, não acho que seja o melhor de todos, mas muuuuuuuuuuuito obrigada!

Lizandra, eu também te amoooooooooooo!! muito obrigada pelo comentário lindoooo!

E Gaby, quero dizer que eu também te amo (você disse isso na minha outra postagem haha) valeeeeeeeeeeu pelo comentário, você está comigo des do começo, te amoooooooooo



ME SIGAM NO TWITTER E CONVERSEM COMIGOOOOOOOOOO, É @_CeceFrey_